O que os pais acreditam de um aplicativo para as crianças pouparem? ( II )

É preciso lembrar de novo algumas interrogantes como: Quais comportamentos são promovidos pelo aplicativo? E quais os valores? Conforme já mencionado na parte I, realizou-se um levantamento para pesquisar a respeito do potencial uso de um aplicativo de poupança para crianças.

E esta segunda parte remete-se a revelar a visão dos voluntários questionados. Por um lado, foram encontradas as perspectivas dos “pais educadores”, dispostos a usar um aplicativo, manifestando assim: “Para que meus filhos tenham um método fácil e divertido”, “Compartilho estimular a poupança desde cedo”, “Para gerar o hábito de poupar”, “É inovador e adequado para os dias de hoje”, “Porque pode ser mais sistemátici”, “Para que me dê dicas de como fazê-lo”.

Outro grupo de pais, mais cautelosos e talvez por que não mais controladores, apresentam outras questões. Referem-se ao potencial uso de um aplicativo e o que deveria levar-se em consideração na hora do design de uma ferramenta para poupança, sendo preciso enfileirar tudo isto com os sentimentos dos adultos responsáveis. Algumas opiniões nesta direção; “Deveria estudá-la na ponta do lápis para não pular nenhuma etapa da vida dos meus filhos”, “Depende dos valores a transmitir”, “Tenho de conhecê-lo e confiar nele”.

E um terceiro grupo de pais está no meio. Os pais questionadores, aqueles que o Clinkky quer como parceiros, pois são os que mais ajudam seus filhos a pensarem. Entre suas considerações aparecem opiniões como: “Seria bom gerar o hábito de poupar nas crianças sem gerar uma constante preocupação pelo dinheiro”, “Teria de ver o aplicativo, poderia me ajudar para me organizar melhor”.

E de fato, as crianças obtém ingressos através de diferentes vias: mesadas, semanadas, presentes de aniversários presentes em ocasiões especiais ou inclusive às vezes pela realização de alguma tarefa especial ou como prêmio por um sucesso escolar ou esportivo. Muitas crianças desde cedo têm dinheiro próprio. Por isso, na hora de desenhar um aplicativo de poupança infantil, a equipe do Clinkky é guiada pelo menos por dois questionamentos: Quais os comportamentos a serem promovidos pelo aplicativo? E quais os valores?